TAL PAI, TAL FILHO.


Estudando o livro de João, fiquei inerte, por alguns instantes, na passagem que diz: “..o Filho por si mesmo não pode fazer coisa alguma; ele só pode fazer o que vê o Pai fazendo, porque tudo o que o Pai faz, o Filho o faz igualmente. ..” (João 5, 19). Comecei então a refletir profundamente sobre esta passagem dita pelo próprio Jesus,e, desta forma, ponderei também sobre outros aspectos que julgo significativos de serem abordados, por tratar das nossas relações diárias, do nosso comportamento, das nossas atitudes e respostas diante de determinadas situações que se nos apresentam. Imagine o leitor, como Jesus não se sentia ao transmitir sua missão a um povo desalmado, obstinado e incrédulo?!! Como estariam as suas emoções? No mesmo Capítulo, no versículo 42, Jesus comenta “agem mal porque não tende em vós o amor de Deus!”.
Do final do ano de 2009 ao início de 2010, tenho passado por algumas tribulações, problemas que me levaram mais ainda a refletir nesta passagem para compreender determinadas circunstâncias adversas. A Palavra do Mestre me veio então como um bálsamo, um calmante, como um doce mel que me possibilitou compreender alguns aspectos da vida pelos quais também os nossos filhos passam.
A forma como respondemos a determinados problemas é resultado do que vimos e aprendemos com os nossos pais. Na Glória, Jesus via em seu Pai a mesma bondade, humildade e mansidão encontradas na figura de seu pai terreno,e assim, aprendeu a agir e a se submeter ao amor do seu Pai, porque aquele que ama não só ensina, educa e exemplifica com a sua própria vida!

Quero que você leitor, entenda que realmente creio que Deus está tentando falar conosco de diversas formas , e nos revelar o seu coração de Pai, que está no controle de TODAS as coisas, de uma forma tremenda! Seja através de circunstâncias , ainda que “ruins”, ou de pessoas,pois Ele usa quem quer, como quer e da forma que quer! Andava ansiosa com tantas indagações, tipo por que isso nos aconteceu, Senhor? Por quê? Hoje creio que o Senhor queria me responder , porém, me sentia tardia em ouvir, até que me veio o texto de João “..o Filho por si mesmo não pode fazer coisa alguma; ele só pode fazer o que vê o Pai fazendo, porque tudo o que o Pai faz, o Filho o faz igualmente. ..” . Então, mudei o meu colóquio, troquei os meus porquês e passei a Lhe perguntar para que estava passando por aquela situação. A resposta me veio de imediato, como me dando uns puxões de orelha, o Senhor me respondeu que as situações ocorrem para que o filho se pareça com o Pai, para que ele cresça, amadureça e aprenda a refletir o caráter de Deus! O Pai ama o filho literalmente, a despeito de e por causa de. Nada há que lhe ocorra sem um propósito, sem que Lhe seja sabido, portanto, não há razão de se desesperar frente aos problemas, porque isto não nos levará a nada, a caminho algum!
Hoje entendo que a intenção do Pai é observar como respondemos às situações que nos surgem diariamente e, através delas, moldar nosso caráter, nos tornar semelhantes a Ele, ter atitudes coerentes e responsáveis, ainda que tenhamos que passar pela fornalha (Daniel) ou pelo Mar Vermelho (Moisés), ou por uma chaga (Jó),ou ainda pela morte (Jesus), isto porque Deus não nos livra do problema , mas passando por ele, nos livra do mal e, através dele, encontramos a razão de Ser e Existir!
Então, após este Colóquio com o mestre, descansei, sinto-me em Paz!!!! Às duras penas compreendi: “..o Filho por si mesmo não pode fazer coisa alguma; ele só pode fazer o que vê o Pai fazendo, porque tudo o que o Pai faz, o Filho o faz igualmente. ..”(João 5-19).
4 Responses
  1. Tia Mauri, concordo com tudo que aqui foi dito. E vale reescrever tal trecho: "Nada há que lhe ocorra sem um propósito, sem que Lhe seja sabido, portanto, não há razão de se desesperar frente aos problemas, porque isto não nos levará a nada, a caminho algum!". Desde o momento em que nos entregamos a Cristo, passamos por um tratamento em nosso caráter. Deus quer tratar conosco a cada dia, nos aperfeiçoando e nos deixando mais parecidos com Ele. (Jó, 11:16-19 - Pois te esquecerás dos teus sofrimentos e deles só terás lembrança como de águas que passaram. A tua vida será mais clara que o meio-dia; ainda que lhe haja trevas, serão como a manhã. Sentir-te-ás seguro, porque haverá esperança; olharás em derredor e dormirás tranqüilo. Deitar-te-ás, e ninguém te espantará; e muitos procurarão obter o teu favor). Te amo viu? E como a admiro.. beijo!


  2. Mauricéia Says:

    Obrigada, Carla. As tuas Palavras são sábias e revelam um relacionamento lindo e maravilhoso com Cristo! Já me sinto agradecida por aprender a viver intensamente, seja na alegria ou na tristeza, na abastança ou na escassez, as Palavras de Paulo:
    "Não sou mais eu quem vivo, é Cristo quem vive em mim!!!!". Para Cristo sejam a Honra, a Glória e o Louvor da minha vida!
    Bjos


  3. Aninha Says:

    Tia,

    Estava meditando ao ler esse texto. Como ainda precisamos nos parecer com o pai, o quanto ainda somos carentes de Sua Glória, do Seu amor.

    Graças a Deus, pela visão espiritual que Ele tem te dado sobre as circunstâncias da vida. O objetivo que relatas, é o alvo das nossas vidas: rumo ao caráter de Cristo, o nosso Deus e Pai. Como a música fala "Te conhecer e prosseguir em te conhecer esse é o alvo da minha vida Senhor...."

    Saibas que nesta longa jornada sempre poderás contar comigo. Aprendemos a compartilhar tantas coisas e em todas elas o Senhor nos honrou, não é verdade?

    Tenho orguho de ser sua filha portiça.

    te amo!


  4. Ciro José Says:

    Olá querida "teacher". Realmente o que está escrito aqui, revela as preciosidades do recôndito das páginas sagradas. Sobre a afirmação do filho que observa o pai, pode-se levar para a questão da fé: muitas vezes preferimos olhar para as tribulações desta vida a seguir os passos do mestre. O próprio apóstolo Pedro nos passou esta lição, enquanto ele estava olhando para Cristo, a fé serviu de salva-vidas, porém ao deixar de visualizar o Senhor, a covardia (o medo) serviu como uma grande onda para distanciá-lo de Jesus que socorreu o apóstolo naquele momento de perigo.
    Na realidade, não devemos jamais, abandonar os caminhos retos e aplainados do nosso Senhor, quer dentro e fora de tempo.

    Que o Senhor esteja sempre com a srª, profª Mauricéia, porque sei que é um grande instrumento do Senhor nesta Terra, para levar o ide aos perdidos e palavra de ânimo aos quebrantados de coração. Um bjaum!!!